sábado, 5 de outubro de 2013


Cabeça anda cheia ultimamente
Cheia de medos, de problemas, de excessos e ausências.
É estranho esse meu complexo de copo meio cheio, meio vazio.
Meio cheio de preocupações, de arrependimentos, de mágoas, feridas encrostadas e meio abertas ainda.
Meio vazio de pequenas alegrias, de expectativas futuras, e talvez de mim mesma.
Uma certa desesperança se abateu sobre mim, tal como uma onda que, em sua fúria e imensidão leva tudo o que está a sua frente, deixando pra trás um rastro de desastre.
É como se eu estivesse entre a superfície e a profundeza do oceano. Ao mesmo tempo em que busco me manter acima, respirando, sobrevivendo, perco a vontade de continuar, e me deixo ser sugando para baixo, mais e mais.
Entre excessos e ausências me mantenho. Nem tão firme nem tão forte, apenas caminhando, seguindo em frente.